Lugar da delicadeza com o outro e com a própria Liberdade.

Onde se está de acordo com o único modo do humano de ser feliz

Thursday, June 09, 2011

Vou num esforço de recolher palavras como pedras no caminho. Neste exato instante, o que tenho para oferecer é uma certeza. De quem sabe. Quem olha para mim e sabe. Adoro esse olhar. Mas ele está longe de me deixar tranquila. Quando olham para mim e sabem que eu sei, preciso lidar com isso como quem toca um instrumento. No palco e diante de uma plateia atenta. Não sei dizer mais do que disse. O muro de pedra sobre outra pedra e alguma argamassa é somente dessa altura aqui. Mas quando sei que sabem ao me olharem desse jeito, fico à procura de um que não seja o meu. Desconcertado e tímido. Embora, com tanta certeza.

4 comments:

Camila said...

Fazia tempo não caía aqui e então me deparo com este texto. Belo, cruel e verdadeiro. Obrigada pelas palavras - parecem ter sido escritas para mim.

Receba o meu afeto e minha saudade.

Um beijo!

Geórgia Alves said...

rss Adorei o cruel.

Geórgia Alves said...

Todo meu carinho que é para sempre Camila.

Geo said...

É simples me ver assim